Paisagens corta-fogos: ativação das zonas rurais para um território resiliente

Projeto Paisactivo

O Projeto

O projeto PAISACTIVO (Paisagens corta-fogos: ativação das zonas rurais para um território resiliente) visa aumentar a resiliência do território face ao risco de incêndio, potenciando e melhorando a gestão sustentável das zonas agroflorestais, enquanto protege e dinamiza os aglomerados rurais, promovendo a sua sustentabilidade.

O projeto aborda esta problemática de uma perspetiva territorial e holística, assumindo que os incêndios são um sintoma de desafios socioeconómicos e ambientais mais amplos que, ao mesmo tempo, e paradoxalmente, escondem oportunidades para o futuro.

Projeto Paisactivo

Objetivos do projeto

O projeto PAISACTIVO entende que as aldeias e a paisagem em que estão integradas devem caminhar lado a lado para alcançar a resiliência e que combater o declínio de ambas significa reconectá-las.

Melhorar e inovar os instrumentos de gestão ativa das zonas rurais

Incentivar a implementação e o desenvolvimento de Projetos Territoriais Modelo

Promover a colaboração em rede e a integração das novas gerações

Projeto Paisactivo

Atividades do projeto

Quadro estratégico

Diagnóstico do quadro estratégico e das boas práticas de gestão ativa das zonas rurais.

Inovação

Inovação e capacitação para a dinamização e gestão resiliente das zonas rurais.

Quadro territorial.

Inclusão da governação multinível, necessária para envolver os principais intervenientes no processo de recuperação e gestão ativa das terras.

O projeto em números

0
Planos territoriais modelo
0 ,26€
De orçamento
0
Anos de trabalho
0
Parceiros

Projeto Paisactivo

Notícias mais recentes

No âmbito do projeto PAISACTIVO, na passada sexta-feira, 5 de abril, a equipa técnica

No final desta semana, os parceiros do projeto PAISACTIVO realizam a sua segunda visita

Na sexta-feira, dia 15 de março, o consórcio PAISACTIVO participou na primeira de duas

Projeto Paisactivo

PAISACTIVO: Paisagens corta-fogos:
ativação das zonas rurais para um território resiliente